Coluna: Conversando com a Clínica Base - Maternidade na contemporaneidade

Olá queridas mamães e papais!
Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Hoje é o primeiro dia da nossa coluna '' Conversando com a Clínica Base'' que contei (AQUI). 



Maternidade na contemporaneidade


“Minha dor é perceber que apesar de tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais”.

Foi esse refrão da música de Elis Regina que insistentemente soava na minha mente quando presenciei uma amiga ser duramente criticada, sem direito a defesa, enquanto carinhosamente alimentava seu bebê de apenas quatro meses com uma suculenta mamadeira, por um grupo de mulheres indignadas com a sua decisão de não amamentar mais o filho, o que para elas representava uma atitude de extremo egoísmo.

Vivemos em uma época em que, diferente do que acontecia com nossas avós, não existem mais na sociedade de hoje referências claras que nos orientam em relação aos vários papéis que vamos assumindo ao longo da vida, dentre eles, a maternidade. Se por um lado, essas referências revelavam para nossas avós como elas deveriam agir para exercer a maternidade com competência, por outro, tiravam dessas mulheres a liberdade de construir a sua própria identidade como mãe, se aproximando daquilo que realmente fazia sentido para elas.

Aprisionadas a uma imagem socialmente construída da mãe que ama seu filho incondicionalmente, nossas avós não podiam sequer admitir a presença do turbilhão de sentimentos contraditórios que a maternidade despertava nelas. Afinal, não lhes foi dado o direito a escolha, assim que seus filhos nasciam, tinham que responder a todos os ditames sociais que definiam o que era ser uma boa mãe.

O que numa sociedade como a nossa, que os ideais e a tradição perderam sua força, não deveria acontecer. Apesar disso, cenas como a que descrevi se repetem cotidianamente, nas praças, nas festinhas infantis, nas maternidades, nos shoppings, onde quer que você esteja com seu filho sempre haverá alguém para avaliar, julgar e criticar o seu comportamento como mãe, agindo como se ainda existissem parâmetros sociais rígidos que definem o que é ser uma boa mãe.

Em pleno século XXI, as mulheres parecem não gozar da liberdade conquistada através dos movimentos feministas, da revolução sexual, do advento da pílula anticoncepcional, dos leites em pó, da cesariana, que nos coloca diante de um universo de possibilidades. Há mulheres que ainda insistem em criar parâmetros e condenar aquelas que não os correspondem, ao invés de desfrutar do direito adquirido com essas conquistas de encontrar a sua própria forma de ser apenas uma boa mãe para seu filho.


Para entrar em contato com a Clínica Base, acesse site: www.clinicabase.com ou clique (AQUI)

E vocês o que acham? Devemos desfrutar de todos nossos direitos adquiridos em relação a maternidade?

Espero que tenham gostado!
Aguardamos a participação de vocês!

Até mais!

43 comentários:

  1. Oi flor!
    Esse assunto é um tanto delicado! Pois acho que cada mãe teve sua educação, seus valores, seus exemplos.
    Acho que cada mãe sabe o que é melhor para sua família.
    Eu por exemplo, não ligo para o que os outros dizem ou fazem. Tenho minha opinião, não sou Maria vai com as outras como minha mãe sempre diz.
    Infelizmente julgar é muito fácil, agora aceitar o jeito e opinião de cada um é difícil para muitas pessoas ainda.
    Parabéns pela maravilhosa postagem!
    Gostei de tema!
    Bjão

    Femme- Mãe, Esposa, Mulher!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rê, realmente acho que é isso que você disse, Acho que o nosso dever é não julgar as nenhuma mãe, cada uma constrói sua maternidade como quer. Claro que devem ter informações para ajudar as mães, os benefícios e malefícios de cada ato mas não somos nós que devemos julgar. Obrigado pelo carinho! Adoramos a sua visita e Volte Sempre! Bjos

      Excluir
  2. Respostas
    1. Obrigado pelo carinho!
      Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
      Bjos

      Excluir
  3. Concordo, acho que devemos desfrutar da nossa maternidade de maneira intensa, sem se preocupar com o julgamento das pessoas.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho!
      Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
      Bjos

      Excluir
  4. Não concordo com o que falou... porque certas coisas da maternidade são escolhas em um benefício maior, o melhor para os nossos filhos!
    Lutamos por muitas coisas sim, mas ao mesmo tempo não podemos deixar de nos espelhar em nossas avós, que se "sacrificaram"? Não vejo assim... talvez no tempo delas fosse mais difíceis e hoje nós temos ao nosso favor as escolhas.
    Tudo bem que tem toda a modernidade... mas nem sempre tão favoráveis assim.
    Respeito a decisão de cada uma quanto a se vai amamentar ou não, a escolha do parto e etc, mas não levanto bandeira a essas novas escolhas, acredito que ainda hoje faltam informações e apoio pra que possamos sim amamentar, possamos sim escolher ter PN, apesar do meu parto ter sido Cesárea, por isso digo q faltam informações...

    ResponderExcluir
  5. Olá Cris, bem o que eu acho que as psicologas colocaram não é para nós levantarmos bandeira nenhuma e sim que cada uma faça aquilo que é melhor para o filho, sem julgamentos da sociedade. Claro que informação é necessário, e devemos nos orientar por elas, mas o mais importante é não julgarmos, cada mãe sabe os benefícios e malefícios de cada ato seu, seja no parto, na amamentação, na educação, no comportamento...Enfim em tudo, e não devemos julgar, cada um vive sua maternidade como quer. Mas entendo e aceito sua opinião, mas que isso respeito! Obrigado pelo carinho! Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Depois que a Ceci nasceu parei de trabalhar, pois estaria com dois bebes em casa. Não me arrependo, mas ano que vem já estarei de volta ao mercado de trabalho.

    Beijocas, Cléo Moretti
    Dona Maricota Feliz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que legal! Isso é importante para nós mulheres!
      Obrigado pelo carinho!
      Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
      Bjos

      Excluir
  7. Post excelente!
    Precisamos viver a maternidade na individualidade, conforme cada filho requer, pq ate nisso ela precisara ser diferente.
    beijos
    Lele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. realmente, nenhum filho é igual ao outro! Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  8. Lindo texto dela
    Nós hoje temos que aproveitar por que podemos ficar com os nossos filhos
    Eu agradeço sempre
    Bjkas
    http://segredosdaluma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isso aí Letteia, ficar com os filhos é tudo de bom, eu também aproveito! rs
      Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  9. Eu acho que oque falta mesmo é o "VOCÊ CUIDA DO SEU, EU CUIDO DO MEU" oque vemos hoje em dia é mitas pessoas que não respeitam as escolhas dos outros e outras que ao invés de cuidarem de sua vida e suas coisas, adoram cuidar e palpitar na vida alheia. RESPEITAR AS DIFERENÇAS É OQUE FALTA.

    Carlah Ventura - Intensa Vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente Carlah, temos que aprender a respeitar todas as mães, concordando ou não. Sem julgar, taxar ela disso ou aquilo!
      Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  10. Flor, realmente este assunto é meio tumultuoso,mais o que eu penso é simples ... cada um faz da sua vida e cuida do seu filho da forma que bem entende ... eu tenho padrões que desejo adotar que muitas outras que conheço não estão nem ai ... isso vai de mulher para mulher, vai da criação e vai de muitos outros fatores tbm ... não acho certo julgarem por parar de dar de mama ou por dar até demais, isso é uma coisa pessoal de cada um, se a criança está bem é o que importa !!!

    Gostei do post !

    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade Tami! Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  11. Eu não tô nem aí para o que os outros pensam ... faço o que acho certo e pronto.

    Tem sorteio lá no blog, passa lá pra conferir! Beijos ...

    Roberta e Luma
    http://princesaluma.blogspot.com.br/
    http://motivosparaestareserfeliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  12. Eu crio meus filhos conforme minhas convicções, o que não quer dizer que está certa ou errada.
    Peço até hoje ajuda a minha mãe para certos assuntos, mais não acato a todos.
    Devemos criar nossos filhos como achamos que será o mais acertado. Com o tal institnto materno.
    Bjs
    http://soumaedecinco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haaa vó é mãe com açúcar! Sabe quase tudo ....rsrs
      Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  13. Acho que temos que aproveitar ao máximo pq passa tão rápido
    bju
    Estou Crescendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. passa sim, aproveitar é tudo!
      Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  14. Cada mãe vive e educa da forma que acha melhor.
    Mas sei que tem lá no fundo uma pitadinha de uma mãe que já passou por nós.
    bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  15. Bom crio os meus conforme acho que deve ser, mas não dispenso uma olhadinha nas outras criações que vejo por aí. Assim vou acertando onde acho errado.
    Bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  16. En aprendi muito com outras mães e escolhi no que acreditar!Respeito cada opinião,mas faço que achar melhor!Não em sinto menos mãe por ter feito cesária ou por ter amamentado até 6 meses só!
    Acho legal quem quer ter parto normal, me emociono e tudo...mas pra mim não deu! Cada um com seu cada um!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade amiga, cada um com seu cada um.
      Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  17. Não sou mãe, e se fosse não estava nem aí para as pessoas.
    Mas a opinião da minha mãe é diferente kkk algumas eu iria aceitar.
    Beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Cada mãe vive o que pensa ser melhor para seus filhos. Aqui não me sinto obrigada a ser super mãe eu sou a melhor mãe que posso ser. Fiz cesárea eletiva e não amamentei exclusivamente e amo e sou amada demais por meu filho.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depoimento de um ótima mãe que não fez nada conforme o padrão. E não é menos que ninguém. Simples assim! Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  19. Não só na maternidade, mas em tudo. As mulheres adquiriram direitos e devem fazer uso deles. Adorei o texto, hoje mesmo quase briguei com uma mulher que me parou na rua para saber se minhas filhas eram minhas filhas mesmo, pois eu era muito guriazinha pra ter filho. Eu disse para ela, se eu der um espirro já estou com 30 e mesmo que tivesse 15 o que você tem a ver com isso?
    Coisa chata.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chata mesmo. Mas acontece né!
      Obrigada pelo carinho!
      Adoramos a sua visitinha!
      Volte sempre!
      Bjos

      Excluir
  20. Ela disse tudo, somos julgada por qualquer coisa, mesmo a outra pessoa não sabendo o porque vc não pôde fazer isso ou aquilo, temos que respeitar mas as pessoas, nem sempre oq vc faz pro seu filho é melhor pro meu....
    Bjinhos mamaenathan.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade amiga! Isso que disse é importante!
      Obrigado pelo carinho!
      Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
      Bjos

      Excluir
  21. Eita, eu sempre fico encucada qdo vejo uma mãe dando mamadeira pra uma criança tão pequena, mas prefiro não comentar, perguntar, enfim, cada um faz o que acha melhor, mas...
    ainda acredito que o melhor seria o leite materno.
    Isso não tem nada a ver com o tamanho do amor, mas com acesso à informação e querer o melhor para os filhos.

    Bjus, Genis
    Reciclando com a Mamãe
    Mamães em Rede
    Um divã para três

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei como é Genis,! Obrigado pelo carinho!
      Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
      Bjos

      Excluir
  22. Acho que cabe a cada mãe saber o melhor para o filho, amamentar ou não, dar mamadeira ou não, deve ser escolha, cada uma sabe o melhor para ele. Infelizmente hoje em dia vivemos em muitos julgamentos, em relação a tudo.
    Sempre vai ter alguém para palpitar ou dizer o que acha certo, cada um sabe de si e de seus atos,
    Bjs
    Vivi e Isaac

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que cada um faz o que quer independente das escolhas!
      Obrigado pelo carinho!
      Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
      Bjos

      Excluir
  23. Cada um no seu quadrado rss... Não devemos julgar o próximo sem saber a realidade daquela pessoa.
    Muito legal o texto, para refletir.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo!
      Obrigado pelo carinho!
      Adoramos a sua visita e Volte Sempre!
      Bjos

      Excluir

Adoramos a sua visita!
Deixe um recadinho, uma dica, um comentário ou nos conte sua experiência!
Vamos adorar ler! Bjos e Volte Sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...