Sexualidade Infantil: Como Lidar?

Olá Pessoal! Como vão vocês? Espero que estejam bem!

Hoje é dia da Coluna: Conversando com a Clínica Base, com um tema interessante, e bem polêmico - Sexualidade Infantil... Confiram!



Sexualidade infantil: Como lidar?

A infância que muitos de nós ainda hoje consideramos como época de pureza e inocência se configura como fase de descobertas importantíssimas a respeito do mundo, e, principalmente, a respeito da sexualidade. Essa é a fase que Freud, o criador da psicanálise, nomeia como o primeiro despertar. É a primeira busca profunda do sujeito por conhecimento. A curiosidade a respeito de sua origem é a primeira que ele busca sanar. Em seguida se pergunta e inventa teorias a respeito da diferença anatômica entre os sexos. Após este período de pesquisas sexuais é que a criança transfere sua curiosidade e seu desejo de saber para outros temas que não o da sexualidade. Daí a importância de que as crianças pequenas atravessem com tranquilidade essa fase de intensas perguntas relacionadas ao interesse sexual.

Acontece que estas pesquisas das crianças sobre a diferença sexual e de onde vêm os bebês não são fáceis, nem para elas nem para nós. E quando não escutadas e acolhidas, as especulações e curiosidades das crianças podem ser causadoras dos sintomas. É por isso que elas se tornaram alvo dos estudos e da atenção de Freud, e são ainda hoje tema recorrente em entre os pais, na escola, e em pesquisas da área.

A grande dificuldade dos adultos em lidar com o tema ocorre devido ao fato de que quando nos deparamos com manifestações da sexualidade infantil somos obrigados a confrontar nossa própria infância, o que nos leva, muitas vezes, a negar a existência da sexualidade das crianças para não ter que enfrentar nossos próprios conflitos e frustrações. O problema é: como deixar de lado todo aquele desconforto em falar desse tema com crianças? Como esquecer as próprias questões e limitações para lidar com esse tema tão delicado?

A má notícia aqui é que não há uma resposta. A boa notícia é que cada um inventa seu próprio jeito para sair dessas situações constrangedoras que sempre nos pegam despreparados. Não há uma receita ou caminho ideal, muito menos uma frase ou explicação que possa responder às dúvidas de todas as crianças e apaziguar todas as mães. Cada uma tem de ouvir a demanda de seus filhos e tentar atendê-la da forma mais atenciosa possível. O que é preciso lembrar, é que se a dúvida surgiu para criança ela precisa ser escutada, acolhida e respondida. Ao menos tentar responder já demonstra que o adulto dá importância aos problemas infantis e se emprega esforço em ajudar.

 Outro ponto importante é que a criança só precisa saber o que ela pergunta, nada além disso. As dúvidas muitas vezes vêm em etapas, e se ela está curiosa por determinado acontecimento não há motivos para o adulto antecipar todas as repostas. Isso é muito bom para nós também, pois, por mais que seja fato certo que sempre seremos pegos de surpresa pelas perguntas sobre sexualidade, acabamos tendo mais tempo para pensar as respostas para os próximos possíveis questionamentos, o que pode nos fazer sentir mais seguros em falar sobre o tema à medida que as crianças forem demandando.

Sabendo de tudo isso que você acabou de ler vai ficar fácil agora responder a toda e qualquer pergunta das crianças, não é? Bom, talvez não, mas o que todo adulto que lida com crianças deve tentar pensar é: como ultrapassar suas limitações e lembrar de todas as dicas que vêm de vários lados bem na hora em que a criança te colocou ‘contra a parede’? A grande questão aqui é essa, pois não importa o quanto você leia ou se prepare, tenha certeza de que sempre será pego de surpresa pela curiosidade sexual das crianças. Muitas vezes você vai achar, inclusive, que não deu a melhor resposta, mas não se preocupe. Nesta situação, se o adulto estiver com a intenção de acolher e esclarecer a criança não há certo nem errado. Para cada criança, cada família e cada contexto há diversas formas de abordar este assunto.


Para entrar em contato com a Clínica Base, acesse site: www.clinicabase.com ou clique (AQUI)

E vocês como lidam com a sexualidade infantil na sua casa? E já passaram por alguma situação constrangedora com as perguntinhas dos pequenos? 

** Quem tiver alguma dúvida, e só perguntar a Clínica Base responde.

Até mais!

37 comentários:

  1. Aqui eu fico imaginando quando surgirá a primeira pergunta... Mas sei que por mais preparada que eu esteja, nunca estarei... hehehe..
    Valeu!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!!!
      De fato, a sexualidade, seja ela infantil ou adulta, é a questão que mais angustia as pessoas. Por ser um assunto que envolve nossa subjetividade ela sempre será de delicada abordagem. No entanto, quanto mais falamos e discutimos sobre o tema, mais tranquilos e confiantes ficamos! Esse é o trabalho da psicologia, e especialmente da psicanálise: deixar o sujeito falar! Falar é bom e apazigua em qualquer situação! Daí a importância de sempre retomarmos as discussões de assuntos como este. Ter com quem falar sobre o que nos angustia é muito importante.
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Exatamente por não ter tido em casa alguém que tirasse minhas dúvidas e curiosidades, hoje busco da melhor forma manter um diálogo com minha filha. As vezes sou surpreendida por perguntas que dificilmente quando criança eu faria. Mas tento explicar usando a mesma linguagem que ela e na maioria das vezes consigo. Vejo que hoje em dia o assunto sexualidade está entre as crianças cada vez mais cedo. E se não soubermos lidá com a questão elas acabam descobrindo de maneira errônea.
    Carlah Ventura - Intensa Vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Carlah!!!
      A forma de abordar o tema de acordo com o que a criança está preparada para ouvir é realmente o mais importante! Você está certa, também, quando fala que as perguntas hoje são diferentes das que fazíamos quando crianças e que a curiosidade sexual se inicia cada vez mais cedo. Mas independente de qual seja a curiosidade da criança e da idade em que ela inicie, o importante é lembrar que a resposta dos pais é a mais confiável para os pequenos, outras fontes não são tão importantes!
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Adorei o post. Ainda não passei por isso aqui, mas tenho certeza que não vai ser nada fácil. E como falou vou tentar achar a melhor forma para explicar. Bjs
    Vivi e Isaac

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Vivi!!!
      Fico feliz que tenha gostado do texto! O fato de você já estar lendo e discutindo sobre o texto antes de seu filho iniciar as temidas perguntas, já demonstra seu interesse e preocupação em acolher as dúvidas dele da melhor forma, e é isso que importa!
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da clínica base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro.
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  4. Ola :)
    Tem sorteio no meu cantinho.
    Se quiser dar uma passadinha por la ... Beijinhos

    http://www.entremaeseamigas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Assunto muito importante, amei o texto.

    Sempre me preocupo com a minha filha sobre essa questão, e sempre estou observando o seu comportamento, todo cuidado é pouco quando se trata dos nossos filhotes.

    Bjos*

    http://prioridadedemae.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!!!
      Que bom que gostou do texto! Sua preocupação e interesse pelas questões da sua filha são o ponto mais importante. As crianças sabem quando o adulto realmente se importa e só isso já faz com que se sintam mais seguras e que confiem mais no que dizemos.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da clínica base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  6. Adoro os textos dessa parceria.
    Aqui Lucas tem 3 aninhos e já percebe a diferença entre meninos e meninas, já estou me preparando para as inúmeras perguntas que já estão começando a surgir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Jamilly!
      Que bom que você está gostando dos nossos textos!
      A idade em que o Lucas está é realmente quando se inicia a fase de intensas perguntas e investigações sobre a sexualidade. Além das perguntas, ele estará imaginando e criando suposições para a diferença sexual e para sua origem. Por isso é importante que os pais acolham as questões das crianças nessa fase. Muitas dúvidas e mudanças que nós nem imaginamos, passam pelas cabecinhas delas.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da clínica base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  7. amiga estou nessa fase já
    pois tem notado que esta uma mocinha
    já comecei algumas coisas
    mais as vezes acabo achando que é cedo e sei que não é
    esse é um assunto muito importante
    e temos que conversa-los sim
    amei a postagem me ajudou muito linda tarde bjs

    Ser Mamãe Pela Segunda Vez
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Nanda!!!
      Fico feliz que o texto tenha te ajudado! De fato, conversar sobre o tema é importantíssimo tanto para esclarecer como para apaziguar quem se angustia com ele. A fala é o melhor remédio para a angústia! No trato com a sexualidade dos próprios filhos, muitas questões passam pela cabeça das mães e é importante ter com que dividir. Observar as crianças para identificar o momento em que estão prontas para ouvir determinados assuntos e decidir a forma de abordagem deles, é a melhor estratégia.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da clínica base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  8. Tatty as meninas já me colocaram na parede algumas vezes, olha que não tenho muito vergonha para falar desses assuntos, mas tenho certeza que ainda vou perder muito rebolado com as minhas meninas.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Desirée!!!
      Falar sobre a própria sexualidade ou a de outros adultos costuma ser mais fácil, mas como eu disse para a Nanda, quando se trata de crianças, e principalmente, de nossos próprios filhos a questão fica mais complicada. Perder o rebolado na hora de responder às perguntas não tem o menor problema. Com certeza suas filhas notam seu interesse e engajamento em sanar suas dúvidas, e é isso que importa! Assim a criança não se sente desamparada, nem ignorada, e pode continuar com suas investigações e inferências sobre a sexualidade.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da clínica base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  9. Imagino que não seja fácil para uma criança entender, e principalmente para os pais explicar. Más tem que ter um jeitinho, porque se não aprende em casa, aprende na rua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Thaty!!!
      De fato essa fase de investigações das crianças sobre a sexualidade não é fácil nem para elas, e nem para os pais e outros adultos que as cercam. Além das perguntas, elas estarão constantemente imaginando e criando suposições para a diferença sexual e para sua origem. Muitas dúvidas e mudanças que nós nem imaginamos, passam pelas cabecinhas delas. Por isso é importante que os pais acolham as questões das crianças nessa fase, assim elas não se sentem desamparadas, nem ignorada, e podem continuar com suas investigações e inferências sobre a sexualidade.
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  10. Sempre que me perguntam respondo de forma simples. Eles ouvem muita coisa dos colegas e a maioria coisas erradas, então devemos sempre esclarecer as dúvidas deles.
    Bj
    http://soumaedecinco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Leila!!!
      É exatamente isso. Essa busca por informações em outros ambientes, que não a família, irá sempre ocorrer e é importante para que as crianças possam elaborar suas teorias e opiniões. O importante é lembrar que o que os pais falam é tido pelos pequenos como mais certo e mais confiável do que o que outras pessoas possam dizer.
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  11. Meeeu, esse assunto é complicado... Fico imaginando como vai ser quando surgir a primeira pergunta... Se respondo, se dou uma enrolada nele e nao falo nada... Acho que só quando acontecer é que vou saber a minha reação rsrs Adorei o post! Bjs

    Diariodematernidade.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Bruna!!!
      Fico feliz que tenha gostado do texto! É somente passando pela experiência que podemos decidir o que fazer mesmo. No entanto é importante não ignorar os questionamentos das crianças para que elas não se sintam desamparadas ou inseguras. Quando os pais se dispõem a responder as perguntas e a conversar com as crianças elas se sentem confiantes para continuar investigando e descobrindo, seja sobre a sexualidade ou qualquer outro tema. Não acolher as questões das crianças pode fazê-las perder o interesse em investigar qualquer tema, o que pode ser prejudicial para a aprendizagem escolar dos pequenos.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da clínica base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  12. Muito legal abordar esse assunto, já é bom ir pensando desde cedo como lidar com isso! beijos
    www.vivaverdevivabem.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Cibele!
      Fico feliz que tenha gostado do texto!
      Exatamente! Ler e discutir sobre o tema antes da criança iniciar as temidas perguntas, já demonstra seu interesse e preocupação em acolher as dúvidas dela da melhor forma, e é isso que importa!
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  13. Nem sei como será quando chegar a minha vez de responder as peguntas
    bju
    Estou Crescendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Shairane!!!
      Como eu disse para a Bruna, é somente passando pela experiência que podemos saber como será nossa reação. Tentar acolher as questões da criança respeitando sua idade e seu entendimento do mundo é o mais importante.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  14. Levo a sexualidade numa boa, nadade feio ou proibido.
    Por aqui ja comecou. E quando me perguntou de onde ele tinha vindo e contei a verdade. Nada de historia de semente ou cegonha, falei q conheci o pai, nos apaixonamos, namoramos e eu fiquei gravida.
    Claro que tive q contar essa historia varias vezes. E a última pérola foi "mamãe as meninas se apaixonam por meninos, né?" sim, filho normalmente acontece isso. "mas e se elas se apaixonar por outra menina?" bem, isso também pode acontecer. Kkkkkkk
    O q vale é se divertir com essa curiosidade genuina.
    Bjs
    Mari
    #amigacomenta
    http://maricriando.blogpost.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Mariana!
      Adorei seu comentário! Sua experiência é muito interessante e cômica, como tantas outras relacionadas à sexualidade infantil. As respostas devem ser atenciosas, como a que você deu. E cabe a cada família decidir de acordo com suas crenças e pontos de vista a melhor resposta para questões tão capciosas.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  15. Olha ainda não pensei nisso... mas é jogo de cintura e sempre falar a verdade, sem enrolação.
    Acho q é por aí, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Cris!!!
      É isso aí! O importante é a sinceridade e o carinho no trato com as crianças em qualquer situação.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  16. É um assunto super desconfortável seja qualquer idade, acho que com jeitinho a gente explica pra cada idade, e pros outras mais crescidinhos nós conversamos mais abertamente, acho que assim fica mais facil pra entender a cada idade
    Bjinhos

    mamaenathan.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Vitoria!!!
      Você está certa, cada idade requer um tipo de explicação diferente. À medida que as dúvidas das crianças vão sendo sanadas logo surgem outras e assim por diante durante todo o crescimento e desenvolvimento dos sujeitos. Por isso é importante responder apenas a dúvida que a criança tem naquele momento. Outros questionamentos virão no momento certo.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  17. Essa história de falar somente o que a criança pergunta é fato.
    Sou assim com todos sejam filhos ou não.
    Bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Toninha!!!
      Esse é o ponto que demonstra mais respeito pelo tempo de descoberta das crianças. Se a criança teve uma dúvida específica é por que ela está preparada para descobrir apenas sobre aquela questão. Como eu disse para a Vitoria, outros questionamentos virão no momento certo.
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  18. Oi Tatty, muito importante abordar esse tema. Nós mães ficamos em várias saias justas com as descobertas e questionamentos em relação a sexualidade. Eu passei por algumas e até contei no blog como lidei com elas. O importante é responder até onde a criança se satisfez com a resposta e não ir além.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Chris!!!
      Fico feliz que tenha gostado da temática! De fato esse assunto é muito importante, pois causa angústia em todas as pessoas, e como já disse em respostas acima, falar é o melhor remédio! Daí a importância de trazer esse assunto sempre à tona para discussão.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Atenciosamente,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir

Adoramos a sua visita!
Deixe um recadinho, uma dica, um comentário ou nos conte sua experiência!
Vamos adorar ler! Bjos e Volte Sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...