História de uma mãe

Olá Pessoal! Como vão vocês? Espero que estejam bem!

Hoje é o dia da nossa Coluna: Conversando com a Clínica Base, com um texto para refletir da Pedagoga da Clínica Base Luiza Pinheiro, sobre como lidamos com o crescimento e independência dos nossos filhos.

Uma mulher encontra um bom rapaz e eles se apaixonam. Então, resolvem se casar. A mulher fica grávida. Dentro da barriga dela tem um embriãozinho que logo vai se tornar um bebê. Ele, aos poucos, vai crescendo e se desenvolvendo, mas, bem devagar, dando tempo para a mulher se acostumar com aquela presença. Nesse momento aquela pessoinha bem pequenininha é uma parte do corpo da mulher, está dentro dela e com ela divide a comida, as sensações, e a vida. E de repente, aquela mulher não é mais só mulher, ela agora é, também, MÃE.

A partir desse momento tem outra pessoa que depende dela - e depende inteiramente! -, irá depender dela para sobreviver por pelo menos dois anos -contando o período de gestação e os primeiros meses de vida. Agora, todas as atenções se voltam para o bebê! Tanto da mãe - “o que devo comer na gestação para nutrir melhor meu bebê?”, “como será quando ele nascer?”, “será que vai ter cólicas?”, “vou arrumar as roupinhas e o quartinho mais lindos pra ele!” - como de todas as outras pessoas que a rodeiam - “que barrigona bonita!”, “é menino ou menina?”, “quando vai nascer?”, “como vai se chamar?”. Aquele bebê é a pessoa mais importante do mundo e merece ser muito bem recebida por todos. E a mulher, que agora assumiu o papel principal de mãe, encabeça a tarefa de fazer o filho se sentir bem e confortável sempre.

Mais tarde o bebê cresce um pouco e já não depende inteiramente da mãe, já não demanda atenção em tempo integral como antes. A mãe vai, aos poucos, se adaptando a isso. Vem então a infância, e aquela ‘criaturinha’ que antes era apenas um pedaço do corpo da mãe, começa a fazer questão de mostrar que é uma pessoa com gostos e vontades próprias. A mãe vai tentando se acostumar. Aí chega a adolescência, fase sofrida da vida, não só para o adolescente, como também para a mãe. Nessa época o filho não tem paciência para perguntas nem para regras, quer liberdade, independência e, por isso, acaba se afastando um pouco da família. Essa é uma das partes mais difíceis! Quem um dia já esteve dentro do corpo da mulher e mesmo fora dele dependia dela e contava com ela o tempo inteiro, agora exige uma distância, exige seu próprio espaço. A mãe, tem que se acostumar com aquilo. Tenta entender que o filho está crescendo e que a vida é assim mesmo. Será que é fácil para ela? Finalmente ela se acostuma com aquela nova forma de convivência com seu ‘bebê’ – que já é praticamente um adulto agora – mas logo chegam outras mudanças nessa relação. O filho, que a essa altura já se formou na faculdade e já trabalha, anuncia que vai sair de casa, vai morar sozinho. Anos e anos cuidando, convivendo e se preocupando com aquela ‘criaturinha’ e ela abandona o ninho assim, de uma hora pra outra. Parece que foi ontem que ele era apenas um bebê indefeso. Agora a casa vai ficar vazia, a mãe, depois de tantos anos, tem que se desapegar daquela rotina de cuidados com o filho, tem que se lembrar de como é a vida sem a presença constante dele, relembrar como era ser mulher, só mulher. Nesse momento, a mulher, já mais velha, madura e experiente, tem a oportunidade de voltar novamente a olhar para si (coisa que as mães muitas vezes deixam de lado – em maior ou menor proporção - quando um filho entra em cena).

Essas mudanças na relação da mulher consigo mesma e com os filhos são inevitáveis e necessárias. Mas será que elas são fáceis? Será que alguma mãe, desde que o mundo é mundo, já esteve preparada para isso? Não parece tarefa difícil demais deixar os filhos partirem? Penso que esta história, com suas variações, é a história da maioria das mulheres que se torna mãe: amar, criar e libertar. Fico me perguntando como é para as mães essa tarefa.
Para conhecer mais a Clinica Base e seus profissionais e/ou projetos, entre em contato:
Site: AQUI
Blog: AQUI
Fan Page: AQUI
Cá Entre Nós: AQUI

E você como lida com o crescimento e independência dos seus filhos? 
Pronta para deixá-los voar?

24 comentários:

  1. Oi Tatty estava lendo e passando um filme na minha cabeça de tudo que ja vivi com a gestaçao e o nascimento dos meus filhos. Realmente as nossas vidas mudam com a chegada deles.

    bjs

    www.cantinhodali.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Liene!!!
      Legal o texto ter feito você pensar sobre sua própria história!! Realmente as mudanças são muitas, o importante é saber como lidar com elas.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  2. Realmente a vida é assim, o tempo voa, e logo logo nossos filhotes saem de casa e vão viver a propria vida deles!! Só de pensar já fico com o coração apertadinho..rs

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ludmyla!!!
      Já pensar sobre essas questões vai te ajudar a se preparar para quando o momento chegar. Fique tranquila que até lá você vai estar pronta!!!
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  3. Muito bom, o testo, muito, importante o tema, que você falou, bjos
    muito sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda!!!
      Fico feliz que tenha gostado!!!
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  4. Nem gosto de pensar como o tempo voa,meus pequenos eram bebes outro dia e hoje já tem 5 e 2 anos,kkk, fico apreensiva só de pensar no momento que irão se desapegar de mim e viverem suas próprias vidas e experiências.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Simeia!!!
      Fique tranquila que ainda falta muito tempo para os seus filhos virarem adultos. Mas já ir pensando e conversando a respeito da sua angústia em deixá-los ir, vai ajudar você a se preparar melhor para esse momento!
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  5. Meus pequenos já estão grandões, agora estou com outro pequeno na barriga pra ficar cmg kkkkk
    bjssss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!!
      Que alegria ter outro bebê depois de os outros já estarem adultos! Parabéns! Ele vai ficar com você por muito anos, mas um dia vai ter que abandonar o ninho como os outros, não é? Talvez seja melhor você ir se preparando...
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  6. Me preparo pra isso todos os dias .. e sempre falo pro marido para termos nossa vida, nossas histórias e nossos momentos .. pois um dia fará muita falta e poderemos ficar perdidos ... é difícil claro, pois queremos ficar em tempo integral e fazer tudo com nossos amados filhos .. mas acho sábio e saudável tb termos um tempo só nosso .. e no futuro a independência dos filhos será um pouquinho menos dolorosa .. ehehehe .. bjs

    Roberta Aquino
    Diário de uma Princesa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roberta!!!
      É isso aí!! Essa é uma boa forma de evitar um sofrimento muito grande quando os filhos quiserem se separar.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  7. Deve ser mt difícil, mas acho q o tempo prepara. Hj vejo minha mãe uma criança com meu filho, morrendo de amor e orgulho... vai entender mãe?! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cris!!!
      Com certeza o tempo ajuda a mãe a se sentir pronta para deixar os filhos irem. Até porque eles vão se separando um pouco de cada vez ao longo da adolescência e da vida adulta. Melhor assim que o sofrimento é menor, né?
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  8. Excelente texto e excepcional trabalho desenvolvido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!!
      Muito obrigada!! Fico feliz que esteja gostando!!!
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  9. Nossa n deve ser fácil chegar a conclusão de que nosso filho n é mais bebê que cresceu e tem uma certa independência.
    bjcas
    http://estou-crescendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Shairane!!!
      De fato essa tarefa é muito angustiante para as mães. Mas o tempo ajuda! A mãe tem muito tempo para ir percebendo que o filho cresceu e durante a adolescência ele vai se separando dela aos poucos, isso faz com que o processo seja menos doloroso. Até lá você vai estar preparada!
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  10. Como minha tem apenas 2 anos e 5 meses, fica muito dificil eu e meu marido curtimos juntos o ultimo dia que saímos sem a pequena foi no nosso aniversario de casamento. Mas a gente sai e fica pensando nossa e se ela estivesse aqui. As vezes saiu sozinha pra fazer algo e fico pensando nossa se a Isa visse. Muito dificil e acaba que a gente nem sai sem ela.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gerri!!!
      A separação do filho quando ele ainda é bebê ou criança é mais difícil para os pais mesmo! Quando chega a adolescência é o filho que quer se separar, aí os pais não têm muito o que fazer. Mas isso é uma boa forma de ajuda-los a perceber que o filho cresceu.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro

      Excluir
  11. é assim mesmo
    antes eramos apenas mulher
    depois nos tornamos mulher e mãe
    de um ser que depende muito da gente
    e que vai crescendo e isso vai
    mudando e sentimos essa fase
    de desenvolvimento, que infelizmente são muito dificeis de aceitar.

    Nanda
    beijokas
    Linda Noite
    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nanda!!!
      É isso aí!! Esse processo é natural, mas, para muitas mulheres, é difícil de aceitar. O importante é pensar no que é melhor para os filhos e entender que a separação faz parte da vida de todas as pessoas. Assim como nos separamos de nossas mães, nossos filhos se separarão de nós.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir
  12. Nada é fácil mas faz parte da vida.
    Afinal tá na chuva tem que se molhar kkkk
    Bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Toninha!!!
      É isso mesmo!! O fato é que temos de aceitar que isso irá acontecer e nos preparar da melhor forma possível para não sofrer tanto quando o momento chegar.
      Se tiver interesse em ler mais alguns textos que a equipe da Clínica Base tem escrito, acesse nosso site: www.clinicabase.com
      Um abraço,
      Luiza Pinheiro
      luiza@clinicabase.com

      Excluir

Adoramos a sua visita!
Deixe um recadinho, uma dica, um comentário ou nos conte sua experiência!
Vamos adorar ler! Bjos e Volte Sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...