10 dicas para seu filho te respeitar

Olá Amigas e Amigos! Tudo bem com vocês? Espero que sim! 

Na minha experiência como mãe, a minha principal dificuldade é fazer com que o Heitor, entenda e aceite regras e limites. Ele está em uma fase dificílima é sinceramente quer fazer o que ele acha certo. Mas tenho plena consciência que não é assim que funciona, e nem deixo ele fazer tudo que quer, mas confesso que isso muitas vezes é exaustivo e cansativo. 
Por isso este texto vem ajudar a todas mães e pais que estão tendo dificuldade de impor limite e regras aos filhos.

Que as crianças precisam de regras e limites, isso é bem claro. Mas o que aflige muitos pais é saber como fazer para que seus filhos obedeçam a essasorientações. Em resumo: como exercer a autoridade paterna e materna e como conquistar o respeito dos filhos. Em primeiro lugar, é preciso fazer uma distinção: ter autoridade é bem diferente de ser autoritário. 
O pai ou a mãe autoritários são aqueles que só conseguem que suas ordens sejam obedecidas por meio da repressão, das ameaças e até pelo uso da violência física ou verbal. Quem age assim pode até conseguir que o filho obedeça naquele momento uma ordem. Mas não estará educando: nada garante que a criança entenda porque precisa seguir aquela regra e continue obedecendo quando os pais não estiverem por perto.Os pais que têm autoridade são aqueles que estabelecem combinados com os filhos e têm persistência para cobrar que eles sejam cumpridos, estabelecendo e aplicando conseqüências quando a criança quebra as regras. Veja as dicas dos especialistas para se fazer respeitar:

1. É de pequenino que se torce o pepino:
Regras, limites e responsabilidades devem ser dados às crianças desde bem pequenas. "É preciso começar na primeira infância. Quanto mais tarde os pais deixam para começar a aplicar regras e dar limites, mais difícil é conseguir que as crianças obedeçam", diz Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp). Desde os dois ou três anos as crianças já podem aprender tarefas como guardar seus próprios brinquedos depois de usá-los.
2. Seja amigo, mas não deixe de ser pai ou mãe:
Você pode e deve ser amigo de seu filho, ouvir suas confidências, ser companheiro. Mas isso não significa que deve abrir mão de sua autoridade com ele. "Ser pai-amigo é diferente de ser apenas um amigo, alguém que está de igual para igual com a criança, que é um de seus pares. Pai-amigo é aquele que acolhe, mas que coloca limites também", diz Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp).
3. Não seja autoritário, mas dê limites:
"Educar é uma tarefa muito difícil, mas é fácil criar alguém propenso a ser um delinquente: basta ser muito autoritário ou não dar limite nenhum", diz a psicóloga clínica Rosana Augone, que há 27 anos presta serviços e dá palestras em escolas. Ser autoritário é se fazer obedecer por meio de ameaças, gritos ou violência. Isso não educa a criança. "Mas muitos pais, com medo de serem autoritários, acabam fazendo exatamente o contrário: não colocam quaisquer limites. E com isso, permitem que os filhos se tornem os autoritários, os tiranos da história", afirma Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp).
4. Não faça todas as vontades de seu filho:
Se fazer respeitar também significa mostrar para o filho que não são só as vontades dele que contam. "Vemos pais que cedem a tudo que os filhos querem: se a família decide sair para comer fora, a escolha do restaurante leva em conta só os desejos das crianças. No carro, só se ouvem as músicas que as crianças ou adolescentes desejam.
Crianças criadas assim tendem a crescer acreditando que só elas têm direitos e estão no comando", afirma Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp). Segundo ela, os pais devem compreender que dar tudo que a criança deseja não os torna mais "legais" ou melhores pais.
5. Seja firme até na hora da alimentação:
A cena é conhecida de muitas mães: ela coloca o prato na mesa e o filho se recusa a comer, chorando, esperneando ou até mostrando ânsia de vômito. A mãe, com receio que o filho fique sem se alimentar, cede à pressão da criança e deixa que ele coma apenas o que deseja. "Também nessas horas os pais devem fazer valer sua autoridade. São os pais que sabem o que é melhor para alimentação da criança e não a criança que deve decidir o que comer. Não quis comer o almoço? Guarde o prato e diga que ela não comerá outra coisa até o jantar. A criança vai ficar com fome? Vai. E da próxima vez não se recusará a comer", diz a psicóloga clínica Rosana Augone.
6. Não ceda ao choro, birras e manhas:
No Shopping Center, a criança pede um brinquedo novo. Os pais dizem que "não". A criança chora, se joga no chão, faz escândalo. "Está bem, pare com isso, vamos comprar", dizem os pais, envergonhados do escândalo público. "Pior que dizer "não" é voltar atrás e dizer "sim" para fazer com que o filho pare de chorar ou de fazer escândalo. Quem faz isso está ensinando que vale a pena fazer birra, chorar e gritar", diz a psicóloga clínica Rosana Augone. 
No processo educativo os pais vão se deparar com freqüência com choro, birras, manhas e escândalos das mais variadas naturezas. Nessas horas é preciso manter a firmeza: "Alguns pais se sentem mal por dizer não à criança quando ela quer alguma coisa. Mas saber dizer "não" é necessário. E mais necessário ainda é manter-se firme em sua decisão", afirma ela.. 7. Seja persistente:
Para conquistar o respeito de seu filho, é preciso ser persistente na tarefa de educar. "O que não pode é um dia, em que se está disposto, cobrar que o filho faça o que lhe é mandado e no outro, porque o pai está cansado ou não tem tempo, deixar para lá as desobediências ou quebras de regras", diz Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp). "Você já falou mil vezes e, ainda assim, todos os dias tem que mandar escovar os dentes? Sim, é seu papel repetir até a criança aprender e incorporar essa tarefa em sua rotina".
8. Saiba como estabelecer punições:
Seu filho não arrumou o quarto como você pediu ou deixou de fazer o dever de casa? Estabeleça uma conseqüência, de acordo com a idade da criança. Para os pequenos, não adianta ameaçar dizendo que vai deixar um mês sem televisão se ele não arrumar a cama. "Para as crianças menores, os castigos e punições têm que ser curtos e aplicados na hora. No dia seguinte, ela já esqueceu o que se passou. E é preciso estabelecer punições que possam ser cumpridas. Não ameace aquilo que você não pode ou não vai fazer", orienta Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp).
9. Resolva conflitos longe da criança:
O pai diz que "sim", mas a mãe acha que "não". Se o casal discorda sobre o que fazer diante de um pedido do filho ou de uma regra da casa, conversem reservadamente e longe da criança até chegar em um acordo. "O que não pode acontecer é brigar na frente da criança e um desautorizar o outro", afirma Quezia Bombonatto, presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp). Se o filho pede algo e um dos pais não está presente, diga à criança para esperar que os dois conversem e mais tarde dê a resposta à criança.
10. Dê o exemplo:
Na sua casa criança não pode falar palavrão? Tem que comer salada? Tem que ajudar nas tarefas do lar? Então você precisa dar o exemplo, para mostrar a coerência entre o que você diz e o que você faz. "Autoridade é ensinar o filho a fazer não só o que você diz, mas o que você faz. Os pais são os modelos das crianças", diz a psicóloga clínica Rosana Augone.

Fonte: Educar para crescer

E vocês concordam? Como fazem para se fazer respeitar com os filhos???

16 comentários:

  1. Adorei o texto. Aplico bastante coisas dele lá em casa...e confesso que dá muito certo.
    Dá uma passadinha lá no meu blog.
    Bjs
    Path

    ResponderExcluir
  2. Oi amiga, muito legal seu post. Acho tão difícil educar filhos neste mundo tenebroso, mas acredito que pelo exemplo é a melhor forma. Obrigada pelas dicas.
    Beijos
    Adri

    ResponderExcluir
  3. OIha amiga eu não estou nessa fase ainda, mas daqui a pouco chego. E eu nao quero ver acontecer aqui dentro o que vejo por ai: filhos desrespeitando pais.

    Obrigada pelas dicas

    http://meus-sonhos-meus-pesadelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Exatamente, adorei a frase "Autoridade é ensinar o filho a fazer não só o que você diz, mas o que você faz. Os pais são os modelos das crianças"! Educar é dar exemplos!

    ResponderExcluir
  5. é temos que ser firmes e sempre dar o exemplo
    confesso que muitas vezes amoleço o coração
    mais notei que tenho que ser mais
    firmes lendo as dicas aqui
    notei que tenho errado em algumas

    Linda Noite
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
  6. Post perfeito!

    Faço isso e tomo cuidado pra não extrapolar ..
    as vezes passo de chata para avós que querem fazer todas as vontades ..
    mas aqui em casa quem dita as regras sou eu e o papai e quando dizemos não é não ..

    tb passamos a nos comportar melhor até um com o outro para que ela veja e tem tido muito efeito .. assim como comer as coisas certas e nas horas e forma certa etc ...

    ResponderExcluir
  7. Muito bom meu filho tá na fase da pirracinha tem horas e é realmente complicado contornar! adorei as dicas bjo

    ResponderExcluir
  8. Não ceder as birras é a parte mais difícil e que exige uma maior atenção e calma.

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Adorei as dicas, aqui em casa já colocamos limites para a pequena, as vezes também fico com receio de ser aquela mãe chata sabe? Mas depois penso que ela precisa aprender e é desde cedo né.

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Eu super concordo com esses pontos e aqui tento ao máximo pratica-los.
    Aqui com uma pré-adolescente e um aos 2, tenho que dosar bem e lidar com cada um de uma forma, mas no geral consigo. Ótimo post, bjs
    Carlah Ventura - Intensa Vida

    ResponderExcluir
  11. Essas crianças de hoje em dia estar numa sabedoria tremenda
    Aqui a Luma tudo chora ainda rss
    Se fizer vontade sobramos
    Bjus
    http://segredosdaluma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Otimas dicas amiga, olha eu não cedo a choros , mas quando fica chorando muito minha mãe ja corre aqui e diz porque ela ta chorando pega ela , ai fica muito dificil pra mim. E ela cresce terrivel.

    Beijos
    Geri Ferreira
    www.encantodemeninablog.com

    ResponderExcluir
  13. Ótimo texto com ótimas dicas.
    Adorei. Na teoria é mais fácil do que na prática mas vamos melhorando a cada dia.
    BJKS

    ResponderExcluir
  14. ótimas dicas, temos que saber ter joo de cintura para lhe dar com essas ferinhas
    bjcas
    www.estou-crescendo.com

    ResponderExcluir
  15. Educar não é nada fácil!!
    Na teoria é mole, mas na prática... ah a prática... é desafio todos os dias
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Nossa e como tem sido difícil Educar!
    A minha filha está com 4 anos, e está assim igual ao Heitor.

    Adorei o post!
    Um beijo

    www.amaedadri.com

    ResponderExcluir

Adoramos a sua visita!
Deixe um recadinho, uma dica, um comentário ou nos conte sua experiência!
Vamos adorar ler! Bjos e Volte Sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...